terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Recesso de Fim de Ano! Boas Festas!


Pessoal, estarei tirando umas feriaszinhas do blog, mas estarei de volta no dia 4 de janeiro. Desejo e todos muitas felicidades!

Rogério Cardoso

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Médico alerta para cuidados com a coluna em viagens



Fonte: Abril.com.br

São Paulo - O médico Etevaldo Coutinho, professor associado em ortopedia pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp-EPM) e especialista em patologia da coluna, alerta para os cuidados que se deve ter com a estrutura óssea tanto em viagens, frequentes no fim do ano, quanto em academias, que nesta época costumam ganhar alunos ávidos por conquistar um corpo sarado para a temporada de verão.

No caso das viagens, Coutinho diz que é importante já ter precaução na hora de arrumar as malas. "A dica é sempre agachar no momento em que for erguer peso e distribuí-lo, isto é, deixar o braço direito e o braço esquerdo suportando praticamente os mesmos quilos."

Em viagens de carro, o especialista afirma que o ideal é sentar fazendo com que a coluna fique em um ângulo de 100 a 110 graus com o quadril. "Pode ser usado um suporte lombar, uma pequena almofada entre o assento e a parte inferior das costas." Além disso, diz, os braços devem ficar flexionados ao segurar o volante, o calcanhar tem de permanecer no assoalho do veículo e as pernas devem ficar levemente dobradas no alcance dos pedais. "O joelho tem de estar na altura do quadril."

Quanto à prática de atividade física, Coutinho aconselha a não começar um exercício sem fazer alongamento. O médico incentiva a prática da musculação, pois, segundo ele, apenas caminhar ou correr na esteira não vai fortalecer os músculos que ficam ao redor da coluna. "A esteira serve basicamente para dar condicionamento físico. Se a pessoa não gosta de musculação, uma atividade aeróbica de pouco impacto também faz bem à coluna."

Coutinho alerta ainda para o fato de que, se a pessoa sentir dor nas costas, é importante consultar um médico, pois cada caso tem as suas peculiaridades e só um exame é que vai dizer qual é a melhor forma de tratamento. "Nunca a pessoa deve se automedicar", conclui.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Proteja as áreas de atrito e evitar assaduras durante a corrida




Fonte: O2 por Minuto

Veja as dicas do treinador Allan Menache de como proteger as áreas de atrito e evitar assaduras

A vaselina é uma substância gelatinosa derivada do petróleo e foi descoberta no ano de 1870 pelo químico norte americano Robert Chesebrough, que observou os trabalhadores utilizando a gosma que ficava nas brocas de perfuração para curar feridas e queimaduras.

Ele desenvolveu um produto incolor e inodoro e saiu Estados Unidos afora divulgando e vendendo a vaselina como um produto milagroso que servia como um lubrificante para a indústria e um potente remédio para as pessoas.

Não se tem notícia sobre quem começou a utilizar a vaselina para diminuir o atrito entre partes do corpo e as vestimentas mas o fato é que hoje em dia milhões de corredores ao redor do mundo fazem uso deste produto para evitar assaduras e bolhas.

O uso da vaselina traz vários benefícios ao corredor pois cria uma película protetora a prova d´água sobre a pele com uma ação prolongada retardando o incômodo gerado pelo atrito em provas mais longas.

As regiões do corpo mais afetadas pelo atrito são os dedos dos pés, embaixo das axilas, os mamilos, as virilhas, entre as coxas e o pescoço, mas outras regiões também podem ser afetadas.

Algumas estratégias podem e devem ser utilizadas para diminuir os problemas causadores de assaduras e bolhas, como a utilização de tênis com um ou dois números maiores que o normal. A dica é não deixar os dedos apertados nem ter um calçado muito folgado a ponto de fazer o pé deslizar dentro do tênis.

Outra forma de combater estes problemas é a utilização de roupas apropriadas para a prática da corrida e saber se o praticante não tem um quadro alérgico desencadeado por algum tecido ou mesmo pela vaselina.

O uso da vaselina deve ser criterioso já que existem produtos que contém bactericidas e anestésicos que poderiam diminuir a sensibilidade da região com o uso prolongado.

Com o passar do tempo e com o acúmulo de quilômetros percorridos o corpo vai se adaptando e os problemas tendem a diminuir.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Entrevista com o Augusto!!!


Olá Pessoal, tudo bem?

Hoje eu irei postar uma entrevista que eu fiz com um membro da equipe Fit labore. O Augusto é uma pessoa que começou comigo sem correr, e tinha parado de fumar a pouquissimo tempo e estava procurando alguém aqui em Piracicaba para prescrever exercicios e planilhas de corrida para ele. Irei fazendo estas entrevistas com todos os membros do time.

Mexa-se Mais, Viva Mais! Faça Parte desta comunidade do Bem-Estar em Piracicaba!


Fit - Como você se iniciou nas corridas?
Augusto - Buscando qualidade de vida após parar de fumar.
Fit - Quais eram seus objetivos assim que decidiu começar a correr?
Augusto -Primeiro para dar um basta no sedentarismo e depois correr a corrida Integração.
Fit - O que a corrida acrescenta na sua vida em todos os aspectos?
Augusto -Paz de espírito, qualidade de vida, alto astral e melhora no condicionamento físico.
Fit - Qual o sentimento que o exercicio leva a você?
Augusto -De conquista, realização de de dever cumprido.
Fit - Quais as recomendações que você daria para uma pessoa que gostaria de começar a correr como você?
Augusto -Muita força de vontade e dedicação para ultrapassar as barreiras do início, como dores e desconfortos. Depois é só alegria.
Fit- Atividade fisica para você é sinônimo de saúde, bem estar e melhora da auto-estima?
Augusto -Sim. E contribui de forma significativa para tudo isso.
Fit - Porquê você escolheu a Fit Labore para começar a treinar e quais mudanças esta escolha acarretou?
Augusto -Pelo profissionalismo, diferenciais nos treinamentos e a personalização, que julgo essencial.
Fit - Muitas pessoas ligam a atividade fisica a uma coisa monotona e sem graça. Embora saibam da importancia muitas pessoas não inserem o exercicio na sua rotina diária? O que você diria para essas pessoas?
Augusto -Diria apenas pra começar a correr e ver se depois de uns dois meses continua tendo a mesma opinião.
Fit - Mande um recado para todos e como as pessoas podem te encontrar para conversar com você e se espelhar.
Augusto -Desde que comecei a correr mantenho um blog sobre o assunto, minhas conquistas pessoais e algumas dicas que fui aprendendo nesse ainda curto caminho no mundo das corridas. Acessem o http://www.vamoscorrendo.com.br/. Abraços a todos e vamos correndo!

domingo, 13 de dezembro de 2009

Corrida São Nicolau Ilumina!








Olá Pessoal! Ontem em Piracicaba aconteceu uma otima corrida, a Corrida de São Nicolau que ajuda o Projeto Ilumina para pessoas trabalhando com prevenção de câncer de mais variados tipos.
Ontem estivemos presentes mais uma vez na corrida e foi um grande Sucesso! Parabéns a todos os participantes da Corrida! Estivemos mais uma vez em conjunto com a Academia R Personal Training totalizando umas 12 pessoas correndo no evento. Não houve mais gente por causa das festas de final de ano, confraternização e por ter sido a tarde, mas nada que tenha ofuscado o brilho da corrida.

Gostaria de agradecer a todos e parabenizá-los por mais uma corrida no curriculum. Em breve estarei disponibilizando o resultado da equipe. Mas dê uma olhada nas fotos!
E vamos nos mexendo mais e vivendo mais!










sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Conheças as interferências do ciclo menstrual no treinamento de corrida




Fonte: O2 por Minuto
A decisão de adequar o treinamento ao ciclo menstrual depende da fisiologia e dos objetivos de performance de cada corredora

É comum em mulheres que correm a dúvida sobre como adequar as fases do ciclo da menstruação ao seu programa de treinamento. Embora muitas sintam um desconforto maior durante os dias mais críticos da menstruação e experimentem uma queda no rendimento, nem sempre é preciso deixar de treinar por conta disso. Nesta edição, você irá entender como o seu corpo reage às variações hormonais e o que fazer para amenizar os efeitos da TPM (tensão pré-menstrual).

Pesquisa

Uma extensa revisão da literatura médica feita pelo cientista Janse de Jonge, da Universidade de Sydney (Austrália), em 2003, concluiu que as fases do ciclo menstrual não afetam a performance em atividades que têm predomínio do metabolismo anaeróbio, como as que exigem força muscular ou são de curta duração. Porém, naquelas de longa duração, com prevalência do metabolismo aeróbio, como a corrida, há um aumento da sobrecarga cardiovascular na fase luteal, e a mulher pode sentir-se mais cansada do que o normal. Principalmente, aliás, se a atividade for realizada em ambiente quente e úmido, o que exige uma redução na intensidade dos treinos.

Alguns estudos apontaram também um aumento da freqüência cardíaca e na percepção do esforço quando a atividade é realizada em intensidade submáxima (cerca de 65% a 70% do VO2max) nesse período. A alteração dessas variáveis pode ocasionar redução daperformance em atividades de longa duração, mas ainda faltam dados para comprovar a relação direta entre a fase do ciclo menstrual e a performance.

Temperatura

Outra área é a termorregulação da mulher nas diferentes etapas do ciclo. Durante a fase luteal, há um aumento da temperatura corporal em torno de 0.3ºC em repouso. Quando o exercício é realizado em altas temperaturas, o aumento externo ,adicionado ao acréscimo na temperatura interna da mulher, pode vir a prejudicar a termorregulação em atividades de longa duração, mas ainda faltam estudos mais conclusivos.

“Baseado nessa avaliação, conclui-se que algumas mulheres talvez devessem ajustar o calendário de provas ao seu ciclo, evitando competir na fase luteal especificamente se a prova for realizada nessas condições”, diz a fisiologista Liane Beretta.

As fases do ciclo menstrual

Ovulatória - dura cerca de 16 a 32 horas, a partir da ovulação, marcando o período fértil e o aumento no nível de estrógeno e de androgênio (aumento da libido).

Luteal – inicia-se após a ovulação, por volta do 15º dia, e vai até o primeiro dia da menstruação – um período de cerca de duas semanas. O nível de estrógeno cai e o de progesterona aumenta, encerrando o período fértil e promovendo alterações no corpo e no humor da mulher que dão origem a TPM - com duração de alguns dias antes da nova menstruação.

Folicular - vai do início da menstruação até a nova ovulação – duração de 12 a 13 dias – e é caracterizada pela produção dos hormônios folículo estimulante (FSH) e luteinizante (LH), no cérebro. Após a menstruação, é o momento que a mulher se sente mais bem disposta.

Enfrentando a TPM

A fase luteal é extensa e compreende o período da tensão pré-menstrual, que pode ser mais crítico para algumas mulheres pelos sintomas que envolvem: dores de cabeça, nas costas e nas mamas; náusea; cólicas; inchaço; irritabilidade e ansiedade; menor disposição física.

Uma rotina de exercícios e uma alimentação adequada (veja quadro ao lado) ajudam a diminuir todo esse desconforto, e a atividade física moderada é indicada como tratamento para cerca de 20% dos casos.

Aliados na Mesa

Uma alimentação balanceada pode amenizar o sofrimento. “Uma pequena porção de carboidratos ricos em amido, a cada três horas ou pelo menos antes de dormir e ao acordar, ajuda a combater os sintomas da TPM”, indica a nutricionista Heloísa Guarita. Da mesma forma, alimentos ricos em manganês, como ajudam a prevenir as perdas menstruais intensas, o que acontece quando o fl uxo é muito forte ou anormal. Evite café, chá preto, chá mate, guaraná e choco late pelo efeito contrário, de intensifi cação dos sintomas, pela sua ação estimulante.

Alimentos aliados durante os períodos pré-menstrual e da menstruação:

Vitamina B6 - Contra enjôo, cefaléia e irritabilidade. Fontes: arroz integral, germe de trigo, aveia, amendoim, nozes, batata, banana, salmão, atum, fígado de boi.

Vitamina E - Evita cefaléia, dores nas mamas e cólicas. Fontes: cereais integrais, noz, castanhas, azeite de oliva, azeitona, óleo de soja e de girassol, milho, gema de ovo, agrião.

Cálcio - Alivia cólicas, dor nas costas e nervosismo porque diminui a contração muscular dolorosa do útero e a retenção de líquidos. Fontes: leite e derivados, vegetais e folhas verde escuro, couve e brócolis.

Magnésio - Tem função complementar às funções do cálcio, portanto pode diminuir dores na intensidade de contração dos músculos. Fontes: folhas verdes escuras.

Ácidos graxos - Reduz irritabilidade e dores nas mamas. Fontes: óleos de peixe marinho e frutos do mar, salmão e atum.

Os vilões:

Café e guaraná – A cafeína pode causar insônia, cefaléia e irritabilidade. O café parece aumentar a permeabilidade ao cálcio, que se torna indisponível ao processo de contração, podendo provocar câimbras.

Chá preto – atua no aparelho digestivo provocando obstipação.

Chá mate – tem ação estimulante sobre o sistema nervoso, mas não é tão forte quanto o chá preto e o café; o chimarrão é estimulante.

Chocolate – tem função semelhante ao café e o chá.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Estudo associa exercícios físicos a maior inteligência


Fonte: Folha Online

Exercícios físicos aeróbicos estão associados a uma melhor cognição (capacidade de o cérebro processar informações e cruzá-las, dando respostas a um estímulo) em jovens. É o que mostrou um estudo realizado pela Universidade de Gotemburgo (Suécia) com mais de 1 milhão de homens de 15 a 18 anos e publicado na última edição da "Proceedings of the National Academy of Sciences".

O condicionamento dos avaliados foi aferido por testes ergométricos. Aqueles que apresentavam melhores condições também se saíram melhor em testes de QI, especialmente nas áreas de compreensão verbal e pensamento lógico.

Para excluírem variáveis que pudessem influenciar os resultados, os pesquisadores consideraram o nível educacional dos pais e avaliaram as relações entre irmãos (gêmeos ou não).

"O mérito desse estudo é a informação de que os exercícios aeróbicos podem colocar a pessoa em outro patamar. Imagine se ela sai de um nível mais alto de cognição na juventude: essa reserva poderá adiar a manifestação das perdas cognitivas da terceira idade", afirma o neurologista Li Li Min, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Segundo Min, estudos com animais já apontaram que as atividades alteram a estrutura do cérebro e estimulam o desenvolvimento de novos neurônios, favorecendo a plasticidade cerebral (capacidade de o cérebro se adaptar a situações).

Pesquisas em andamento do Grupo de Neurofisiologia do Exercício da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) também mostram que exercícios aeróbicos elevam os fatores neurotróficos (de crescimento dos neurônios). Isso provoca um aumento no número de neurônios e o contato entre essas células, facilitando a transmissão de informações.

"Não dá para dizer que o indivíduo fica mais inteligente, mas sim que há uma melhora na cognição. Do contrário, todos os atletas profissionais seriam um Einstein", pondera o neurofisiologista Ricardo Mário Arida, professor da Unifesp.

Para os pesquisadores, somente exercícios aeróbicos tiveram relação com melhores resultados em testes cognitivos porque provocam maior oxigenação do cérebro, causada por um melhor condicionamento cardiopulmonar. Atividades de força, como musculação, não demonstraram o mesmo efeito.

Eles também compararam os resultados dos testes ergométricos com as condições socioeconômicas desses homens na meia-idade. Os mais condicionados tiveram mais chances de ter um nível educacional mais alto e empregos melhores.

"Políticas públicas de atividades que melhorem o condicionamento cardiovascular não promovem só a saúde física mas também a saúde mental, cognitiva. O custo é baixíssimo e pode resultar em mais pessoas com melhor nível educacional, buscando profissões melhores", defende Min.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Por que o suor é importante?


Fonte: Sentir Bem

Quanto menos sudorese, menor a desidratação e maior a capacidade de desempenho do atleta.

A produção de suor pelo organismo chama-se sudorese. O suor é um mecanismo utilizado pelo corpo para manter em equilíbrio a temperatura corporal, interna e externa, adequada para o funcionamento normal do metabolismo. O cérebro, assim que o corpo está com excesso de atividade, ou com metabolismo aumentado, como é ao correr, por exemplo, envia sinais para as glândulas sudoríparas entrarem em atividade.

As glândulas sudoríparas são as que secretam suor, e que se encontram em toda a pele do corpo, existindo numa média de 2 a 3 milhões no corpo.

A sudorese baixa a temperatura corporal, e o suor evapora da pele, o calor também é removido, e o resfriamento do ar que circula no ambiente. Uma atividade física que causa a contração muscular não só gera movimento, mas, também o calor, que causa a sudorese, que pode ser maior ou menor em cada pessoa ou em cada atleta.

Além desse fator individual, a sudorese depende da temperatura e umidade do ar, proporcional ao local geográfico, e, esses dois fatores combinados aumentam muito a sudorese. Quanto mais úmido o local, maior a dificuldade para o suor evaporar, dificultando o trabalho de queda da temperatura da pele.

Quanto menos sudorese, menor a desidratação e maior a capacidade de desempenho do atleta. Pode-se afirmar que a quantidade de suor produzida na atividade muscular, esportiva ou não, tem um componente genético, pois, algumas pessoas suam mais que outras, nas mesmas condições de temperatura e umidade do ar.

Quanto melhor o condicionamento físico do atleta ou da pessoa, mais suor é produzido, pois o corpo se torna mais eficiente para manter a temperatura adequada.

O homem sua mais que a mulher, embora tenha menor quantidade de glândulas sudoríparas. Outro fator é a roupa usada, ou seja, quanto mais leve, tecido mais poroso (algodão é ruim), melhor, isto é aqueles que são os tecidos próprios para facilitar a evaporação do suor contido na roupa.

Deve-se reduzir a sudorese, pois causa desidratação que determina redução na performance, principalmente em atividades de alta intensidade. F.E. Marino e colaboradores, professores da School of Human Movement Studies, da Universidade de Bathurst, da Austrália, compararam a performance de corredores.

Em duas ocasiões separadas compararam 12 maratonistas (6 africanos e 6 brancos) que correram na esteira, com 70% da velocidade máxima, por 8 km, numa temperatura fria de (15 graus C) ou quente (35 C), com umidade relativa do ar de 60%. O tempo gasto para completar os 8 km foi de 27 minutos entre os dois grupos, nas condições de baixa temperatura. Na temperatura quente os brancos fizeram em (33,0 +/- 1,6 min) comparado aos africanos (29,7 +/- 2,3 min, (sendo, pois, uma diferença significativa: P<>

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Aproveite a hora do almoço para encarar a musculação


Fonte: Minha Vida

Além do corpo modelado, você ganha uma injeção de ânimo
Dentre as desculpas para largar a vida sedentária, a falta de tempo está em primeiro lugar. Dificuldade para acordar cedo ou preguiça de ir para a academia depois do trabalho ou da faculdade são situações corriqueiras que impedem que muita gente decida embarcar na prática dos exercícios físicos.

Mas será que realmente não sobra nenhum tempinho na agenda? E se você ajustasse a hora do almoço para ir treinar? "O período é um ótimo momento para quem deseja começar a treinar. Diferentemente do que muita gente acredita, 40 minutos de aula são suficientes para garantir um treino que garanta resultados", explica Felipe dos Santos Manuel, gerente de musculação da academia Cia Athletica. O lado positivo é que você volta para o trabalho com muito mais pique, já que o corpo libera neurotransmissores, como a endorfina, que deixam qualquer pessoa mais disposta.

Alimentação regrada

A grande ressalva para esse hábito funcionar é que trocar a refeição pela academia está fora de cogitação. "A alimentação correta é essencial para quem faz exercícios físicos. Esquecer esse detalhe é o grande problema de quem deseja encarar a academia na hora do almoço", diz o especialista. As consequências podem ir desde doenças como anemia, problemas estomacais, fraqueza e até desmaios repentinos.

Para evitar a situação, o mais importante é manter uma alimentação adequada ao treino. O aluno deve fazer uma leve refeição uma hora antes da academia para não treinar de estômago vazio. Depois do suadouro, o almoço deve seguir como de costume. Só não vale abusar da gordura, das massas e dos molhos carregados. "A melhor opção está em um prato balanceado, rico em minerais, proteínas e vitaminas. Tudo para potencializar os resultados da atividade física", explica Felipe dos Santos Manuel.

Converse com seu instrutor:

De acordo com o especialista, é preciso deixar claro para o seu instrutor que você não dispõe de muito tempo para o treino. Desta forma, ele consegue montar uma combinação de exercícios que possibilite atingir os seus objetivos. "Treinos de 30 a 40 minutos são suficientes, mas precisam ser moldados às necessidades de cada pessoa", orienta o professor da Cia Athletica.

Sem fugir das aulas

Como o horário é mais curto, sua frequência na academia precisa ser respeitada. Nada de cair na cilada do turista das aulas. Caso contrário, os resultados não vão aparecer. "Por serem poucos minutos, o ideal é comparecer, no mínimo, três vezes por semana para obter o benefício da musculação".

Não perca a linha

Exercícios são uma ótima pedida para levantar a disposição e deixar o dia mais gostoso. Porém, pegar muito pesado pode gerar o efeito rebote . "Quem treina na hora do almoço, precisa de pique para continuar o dia, e o exagero pode sinalizar perigo. Minha dica é não abusar dos pesos e priorizar os exercícios de repetição. Sem esquecer que sobrecarregar um músculo, como os das pernas ou braços, pode causar dores e problemas para continuar as outras atividades diárias", alerta o professor da academia Cia Athletica.


A malhação vai dar certo?

Antes de se matricular, é preciso se precaver. Responda as perguntas abaixo para ter certeza de que a hora do almoço pode ser um ótimo momento para seu treino:

- Existe uma academia perto de você nessa hora?
- Você tem disponibilidade para ir para academia, no mínimo, três vezes na semana?
- Você vai conseguir se alimentar corretamente antes e depois do treino?
- Você possui ao menos 1 hora de almoço disponível?
- Levar roupas do dia a dia para o treino não é um problema?
- Atrasar alguns minutos na hora do almoço não sugere riscos ao seu trabalho ou a outras atividades que tem na sequencia ?

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Evento Running For em Americana!




Olá Pessoal, tudo bem? Hoje vou falar do evento runningfor que aconteceu em Americana. Foi uma corrida onde as pessoas poderias realiza 3km de caminha, 5 ou 10 de corrida. Levamos ao todo na nossa equipe da FIT LABORE & R PERSONAL TRAINING 6 pessoas. Infelizmente outros membros da equipe não foram por motivos de casamento, maridos e esposas, outras corridas e valor da inscrição. Mas mesmo assim não deixamos de participar desta corrida que é pertinho de nossa cidade, Piracicaba.




Fica ai um gostinho da equipe correndo e as fotos!




Participe conosco nos proximos eventos!




Mexa-se Mais, Viva Mais.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O Resultado da Pesquisa!


Olá Pessoal, muito bom dia para todos! Estamos chegando ao final de mais um ano e espero que todos durante este ano tenham conseguido alcançar seus objetivos ou pelo menos que estejam no caminho para alcançar este seu target.


Hoje eu vou falar sobre o resultado da nossa enquete aqui no blog da Fit Labore. E me impressiou bastante saber que 63% das pessoas que frequentam o nosso blog para ler as informações sobre a atividade fisica já tomaram ou tomam remedios para emagrecer. Entre eles podemos citar vários, como o CLA ( Acido Linoléico), os simpaticos-miméticos que sao remedios que mexem no metabolismo e na frequencia cardiaca , como exemplo cito o Ripped Full entre outros.

Todos voês sabem que eu sou treinador e Personal Trainer e trabalho com pessoas que buscam uma melhor qualidade de vida. O que me impressiona, e que cada vez mais as pessoas buscam o padrão estetico elaborado pela midia e pela moda, sem se importar muito com a sáude. Muitas vezes, você ter um corpo perfeito, não quer dizer que tenha muita sáude, pois as pessoas deixam de comer, malham além da conta e fazem peripécias com o corpo para tentar entrar neste padrão de beleza que eu acho errôneo.


Logicamente, eu como Personal Trainer, tenho que cuidar do meu corpo, pois eu costumo dizer, quem confiaria em um Pneumologista que fumasse? Um dentista com dentes ruins? Um advogado que não soubesse escrever? Cada profissão condiz com o que você quer e deve mostrar ao seu cliente.


O que me preocupa, é que muitas vezes, existem uma pressa absurda em ter um corpo bonito? E para que? Porque essa pressa? Temos que trabalhar a longo prazo, visando a saúde e fazendo um trabalho de formiguinha! Tendo saúde em primeiro lugar, a parte estetica com certeza com o tempo vem depois.

Vamos refletir nisso. Busque sua saúde! Não faça coisas ruins ao seu corpo!

Mexa-se Mais, Viva Mais!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Aquecimento e desaquecimento na corrida. Qual a importância?


Fonte: O2 por por minuto


Saiba a importância de aquecer os músculos antes de iniciar suas passadas e de relaxá-los após os treinamentos

O aquecimento e o desaquecimento são duas das principais etapas da corrida, e nunca devem ser esquecidas. Essas partes do treinamento dão ao praticante a segurança de não correr tantos riscos de se lesionar e acabar parado por muito tempo.

O aquecimento deve ser feito logo antes de começar a correr, para que não haja problemas e lesões musculares que comprometam todo o treinamento, como explica Paulo Rennó, diretor-técnico da Paulo Rennó Assessoria Esportiva.

“O aquecimento preparara toda a musculatura para o esforço físico. Ele aumentanda a quantidade de nutrientes nas fibras e diminui as lesões”, afirma o treinador

Já o desaquecimento é importante para o relaxamento dos músculos, regenerando as fibras mais rapidamente, como diz Sandro Marconde, diretor-técnico do Sandro Marconde Assessoria Esportiva.

“Após correr, as fibras musculares ficam mais retraídas do que normalmente, e propensas a lesão. O relaxamento libera essa carga excessiva e diminui a produção de ácido lático, causando menos lesões”, diz Marconde.

Alongamento e aquecimento

Entre os profissionais na área corporal, há uma discussão sobre o alongamento servir como um aquecimento antes da corrida. Muitos acreditam que isto não traz benefícios nenhum ao atleta e podem até causar lesões. Para os treinadores, o alongamento deve ser feito sempre depois de uma caminhada ou trote leve.

“Na prática, o alongamento bem feito pode ser uma forma de aquecimento. Mas é aconselhável aliá-lo com 15 minutos de caminhada, para os iniciantes, ou um trote para os veteranos”, orienta Marconde.

Frio e calor

O aquecimento exerce papéis diferentes nos dois climas opostos. No calor, ele pode ser mais leve, já que o corpo fica mais aquecido devido a temperatura elevada.

“A quantidade de lesões no calor são mínimas. O corpo já está quase aquecido, mesmo que a prática física não seja iniciada. Mas aquecer é importante, mesmo nesse clima”, diz Rennó.

Já no frio, a diferença é grande. Um aquecimento bem realizado é mais importante, pois o corpo não está acalorado. O aquecimento deve ocorrer com mais vigor, visando não ter problemas futuros com lesões.

“A taxa de lesões no inverno, ou quando está frio, é muito maior. O corpo ainda não está acostumado com a temperatura ideal e as fibras do músculo ainda estão rígidas, provocando atrito e, consequentemente, lesões de alto risco”, alerta Rennó.

Formas de desaquecimento

Existem formas muito eficazes de relaxar seus músculos logo após uma corrida. É aconselhável fazer uma caminhada leve, para cessar a produção de ácido lático nos músculos.

As massagens também são outra forma eficaz


segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Teste genético promete revelar qual o melhor tipo de atividade física


Fonte: Isto É - Independente


Exames prometem revelar qual o melhor tipo de atividade física, vocações e até a capacidade de otimismo de cada indivíduo


O avanço da ciência na identificação dos genes associados às mais variadas características é notável. Também é surpreendente a velocidade com que estão surgindo testes que, segundo seus criadores, apontam predisposições dos mais diferentes matizes. Hoje, há uma variedade impressionante de exames genéticos: para mostrar a aptidão física para um esporte ou dar informações sobre vocações, por exemplo.


No Rio de Janeiro, o laboratório Richet oferece um teste que revela qual atividade física beneficiaria mais um indivíduo. Entre as mutações genéticas avaliadas estão as que aumentam a propensão para males como morte súbita. Se houver risco de morte súbita, a pessoa não deve fazer exercícios aeróbicos sem orientação. Se tiver alterações que indiquem dificuldade para a queima de gordura, os aeróbicos são os mais indicados. A carioca Monalisa Espíndula, 40 anos, fez o teste. "Quero saber até onde posso ir nos treinamentos", diz. Ela corre, faz spinning, musculação e outras atividades.


No laboratório Gene, de Belo Horizonte, existe uma opção que identifica a composição étnica. O teste já foi usado para comprovar a origem africana de candidatos às cotas raciais de universidades. E deu origem ao projeto Raízes Afro-brasileiras, que avaliou o DNA de celebridades, para mostrar a miscigenação no País. A atriz baiana Ildi Silva, 27 anos, descobriu que é 71,3% europeia e apenas 19,5% africana, apesar da pele negra. "Meu avô materno era holandês. Na Bahia tivemos diferentes colonizações e muitas misturas", diz. Lá fora, a empresa suíça GenePartner tem um kit que promete mostrar se os casais têm boas condições de gerar filhos com um sistema imunológico forte. Para isso, analisa os genes responsáveis pela fabricação de moléculas chamadas HLA, que atuam no sistema de defesa. Quanto mais diferentes as moléculas fabricadas por um e por outro, melhor seria a capacidade de proteção imunológica dos filhos.


"Ele é indicado para serviços de relacionamento, em que as pessoas querem informações sobre as outras", disse à ISTOÉ a geneticista Tamara Brown, uma das fundadoras da empresa.Nos EUA, a companhia DNA Dynasty comercializa um teste que analisa 40 genes que estariam associados ao otimismo, à persistência, atenção, ao talento para a música e pintura, à inteligência e criatividade, entre outras marcas. Pais têm procurado a empresa para saber as vocações de seus filhos.


Testes deste gênero, porém, levantam críticas. "Muitos desses testes não servem para nada", afirma a geneticista Mayanna Zats, da Universidade de São Paulo. "Existem áreas em que o ambiente e as relações sociais são muito mais importantes do que a genética", diz Salmo Raskin, presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Recomendação diária de consumo de calorias pode estar errada


Fonte: Diario da Saúde

Quantas calorias pode-se comer por dia?
O cálculo de calorias usado como base nos últimos 18 anos para criar dietas e dar orientações sobre formas de se manter saudável pode estar errado, segundo uma pesquisa.A versão preliminar de um estudo feito pelo Comitê Científico Consultivo em Nutrição, ligado ao governo britânico, sugere que o consumo diário de calorias poderia ser 16% maior.Atualmente, a ingestão diária de calorias recomendada pelos órgãos de saúde é de 2 mil para as mulheres e 2,5 mil para os homens.

Mais exercícios e mais hambúrgueres
O comitê, no entanto, salienta que, diante dos atuais níveis de obesidade da população, as pessoas só devem comer mais se se exercitarem mais.A pesquisa afirma trazer uma avaliação muito mais precisa de como a energia pode ser queimada por meio da atividade física.Um aumento de 16% no consumo de energia significaria que adultos poderiam ingerir mais 400 calorias por dia, o equivalente a um cheeseburguer.

Ideia perigosa
A proposta da comissão passará agora por um período de 14 semanas de consultas para que, então, as recomendações finais sejam feitas.Ativistas da área saúde afirmam que as autoridades britânicas deveriam "varrer o relatório para baixo do tapete" para evitar que mensagens erradas sejam passadas para a população, em meio a uma epidemia de obesidade.Tam Fry, do Fórum Nacional de Obesidade da Grã-Bretanha, afirmou que sugerir que adultos podem comer 400 calorias extras é "uma ideia perigosa"."Isto não pode ser visto como sinal verde para comer loucamente", disse Fry.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Excesso de exercício físico pode reduzir a fertilidade da mulher


Fonte: Veja.com

Passar muito tempo na academia pode reduzir as chances de uma mulher de ter filhos, revela um estudo da Universidade de Ciência e Tecnologia da Noruega, publicado nesta segunda-feira pelo jornal britânico Daily Mail.


Conforme os pesquisadores, mesmo levando em conta outros fatores como idade, peso, estado civil e tabagismo, as mulheres que malham muito têm o triplo de chance de desenvolver algum problema de fertilidade do que as que praticam atividades físicas de forma moderada.Embora os especialistas concordem que uma certa dose de exercícios faz bem à saúde, acredita-se que o excesso de energia gasto na malhação pode fazer falta para uma gravidez bem-sucedida.As constatações foram feitas após o estudo norueguês examinar 3.000 mulheres. Elas foram questionadas sobre a frequência, duração e intensidade dos exercícios, entre 1984 e 1986.


Dez anos depois, eles foram questionadas sobre gravidez."Entre todas estas mulheres, encontramos dois grupos que apresentaram um maior risco de infertilidade: quem treinou quase todos os dias e aquelas que treinaram até ficarem completamente exaustas", explicou Sigridur Lara Gudmundsdottir, pesquisadora que liderou o estudo.Idade - As mulheres mais jovens parecem ser mais vulneráveis ao risco.


Entre as menores de 30 anos que se exercitam mais, um quarto foi incapaz de engravidar durante o primeiro ano de tentativa, comparado com a média nacional de cerca de 7%. No entanto, os efeitos negativos não parecem ser permanente."A grande maioria das mulheres de estudo tiveram filhos no final", disse a especialista, observando que, na verdade, as mulheres que exageraram nos exercícios físicos levaram mais tempo para engravidar.


Não é possível confirmar, ainda, se o fato de elas terem conseguido ter filhos está ligado à diminuição do ritmo da malhação ou à melhor do perfil hormonal.A estudiosa enfatiza que o exagero deve ser sempre evitado, para a saúde em geral, e que "a atividade moderada é que é benéfica".

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

GRAVIDEZ E EXERCÍCIO


Por Prof. André Yamada,


Quase toda mulher passa por uma fase da vida que promove diversas alterações no organismo tanto fisiológicas quanto psicológicas. Muitas vezes a notícia da gravidez para a mãe é um novo marco na vida e que merece de cuidados com o feto. Além disso, muitas se perguntam: será que posso realizar exercícios na gravidez? Quais tipos podem ser realizados? Será que acarretará prejuízos tanto para o bebê quanto para a mãe? Hoje vou dividir o texto em duas partes para facilitar. Primeiramente irei falar dos benefícios fisiológicos que o exercício físico pode promover, e em um segundo momento, vou enfatizar os aspectos práticos dessa conduta.
Mulheres podem se exercitar no calor, assim como em pessoas normais as mulheres conseguem
dissipar o calor do corpo de forma eficiente, mas no entanto devido a falta de estudos mais concretos é aconselhável dizer que as mulheres devem ter cautela e não se exagerarem em ambientes muito quentes, principalmente no primeiro trimestre de gravidez. O exercício pode, de maneira significativa diminuir a incidência de ansiedade e depressão nesse período. O exercício também pode servir como um método terapêutico não farmacológico contra o diabetes gestacional. Mulheres ativas reportam menores sintomas da gravidez como náusea, insônia etc.
No contexto da prática, o melhor momento de momento de se iniciar um exercício para uma gestante inativa é no segundo trimestre (13 a 29 semanas). Isso irá diminuir o risco de se elevar muito a temperatura corporal. Para a mulher mais treinada é seguro já iniciar no primeiro trimestre de gravidez. Para essas mulheres, já no segundo semestre é possível aumentar de forma lenta a intensidade do exercício. Interessante também, alimentar sempre antes da prática para evitar quadros de hipoglicemia (baixo nível de glicose no sangue).
Importante mencionar quando ao escolher o exercício ideal, as grávidas devem evitar ambientes com condição de estresse. Por exemplo, evitar exercícios com mergulho em água, escaladas em altas altitudes. Também importante evitar posição supina, por exemplo na musculação após o quarto mês de gravidez. Exercícios como caminhada, ciclismo, natação e atividades aeróbias em geral de baixo impacto são recomendados.
Monitorar a intensidade do exercício durante a fase de gravidez é mais complicado do que em comparação com indivíduos normais. É normal o aumento da freqüência cardíaca na grávida o que torna uma ferramenta de difícil monitoramento durante a prática do exercício físico. Uma das possíveis saídas no controle da intensidade da atividade é o teste de conversa (quando durante a atividade a mãe consegue conversar sem esforço). Quanto a duração não existe uma regra específica. No entanto, 20 a 40 minutos de exercício são suficientes para uma grávida.
Antes da prática é imprescindível o aquecimento e autoridades no assunto recomendam 3 a 5 vezes por semana essa prática. Portanto amigas, com essas informações acredito que a partir de agora vcs terão ou continuarão com uma vida mais ativa. EXERCÍCIO NÃO FAZ MAL NEM PARA VOCÊ NEM PARA SEU BEBÊ. E mais, importante consultar um especialista em exercício físico como educadores físicos, médicos do esporte e fisioterapeutas. Obrigado até a próxima.


André Katayama Yamada, Formado em Educação Física Bacharelado UNIMEPPerformance Humana. Mestrando em Ciências da Motricidade (Biodinâmicada Motricidade Humana)Linha Fisiologia Endócrino-Metabólica.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

5 dicas da Fit labore para melhorar a sua qualidade de vida!


1 - Faça das escolhas saudáveis um hábito
Isso ocasiona em estilo de vida saudável! Comprometa-se a comer bem, movimentar-se mais e obtenha o apoio da família e amigos. Ainda melhor, comece ter uma alimentação saudável e praticar atividades físicas ao mesmo tempo!
2 - Lembre-se de ser realista sobre seus objetivos
Se tentar reduzir as calorias, gordura, gordura saturada e açúcar na sua dieta e prometer fazer uma mudança drástica no nível de atividade física, poderá estar determinando o fracasso. Ao invés de tentar fazer várias mudanças ao mesmo tempo, estabeleça metas menores e mais realistas e adicione um novo desafio a cada semana.
3 - Faça um levantamento do seu padrão de alimentação e atividade física
Mantenha um diário dos padrões de alimentação e atividade física. Escreva não somente o que come, mas onde, quando e o que sentiu no momento. Você poderá ver o que engatilhou sua fome e o que satisfez seu apetite. Que alimentos você rotineiramente compra? Que lanches mantém na despensa?
4 - Coma pelo menos 5 porções de frutas e vegetais por dia
Tente substituir alimentos menos nutritivos e com muitas calorias por frutas e vegetais. Incorpore pelo menos 5 porções de frutas e vegetais por dia em sua dieta.
5 - Coma alimentos ricos em fibras que o ajudaram a sentir-se cheio
Grãos integrais, legumes (lentilhas e feijões), vegetais e frutas são boas fontes de fibras alimentares que podem o ajudar a sentir-se cheio com menos calorias.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Treino funcional deixa corpo tonificado e a mente em equilíbrio





























Fonte: Minha Vida

Ele estimula vários grupos musculares ao mesmo tempo e melhora as funções cerebrais O treinamento funcional virou febre nas academias do mundo todo e também é sensação no Brasil para quem quer perder peso, definir músculos e "desenferrujar" . A idéia do treino é que, diferentemente da musculação, que trabalha grupos musculares distintos em cada exercício, o objetivo do treinamento é trabalhar o corpo de forma global. "Para quem é atleta, o treino pode se basear em aperfeiçoar movimentos do esporte praticado, como golfe, basquete ou tênis, e além disso, trabalhar os movimentos funcionais do corpo, como abaixar e levantar".
"Um executivo, que trabalha o dia inteiro sentado, por exemplo, faz um treino funcional onde ele potencializa a movimentação do quadril e das pernas", explica o preparador físico Edson Ramalho, do Studio Personal.O treino é bastante variado, com movimentos bastante específicos que estimulam, além dos músculos, as funções cerebrais. Um agachamento sobre uma prancha de desequilíbrio trabalha o abdômen e a coluna e pode parecer aparentemente simples de se executar. "Sobre uma prancha, a pessoa não está somente preocupada com o agachamento em si, mas também estimula o cérebro para manter o equilíbrio", completa.
Resultados
Segundo Edson, o treino funcional apresenta resultados mais rápidos por conta das diversas áreas em que um mesmo exercício pode trabalhar ao mesmo tempo. "A variação é um fator que maximiza o treino, principalmente para quem tem mais de 30 anos. A musculação, por exemplo, é um exercício repetitivo e o corpo acaba se adaptando". Durante o treino, usa-se muito o sistema neuromotor (por exemplo, pernas e braços no mesmo exercício), gastando assim mais calorias do que no treino convencional. "Um treino funcional trabalha coordenação, equilíbrio, força e resistência", completa o personal.
Aparelhos e acessórios
Agora que há certeza de que os resultados irão chegar, é hora de descobrir quais serão os aliados neste percurso. O crossover é o aparelho mais comum, que possui dois cabos flexíveis presos à hastes de ferro, e que possibilitam maior mobilidade do que os aparelhos de musculação convencionais. "Os aparelho funcionais não demandam uma sequência repetitiva de movimentos", afirma Edson.Os acessórios permitem maior criatividade na hora de desenvolver o exercício. Há a medicine ball, o disco de equilíbrio, pranchas de desequilíbrio (lateral e frontal), hastes para pular e também escadinhas. Para visualizar como funciona a execução de um exercício funcional, Edson exemplifica: imagine um quadrado. Em um dos cantos, está uma bola de 5 kg. A pessoa deve agachar, pegar a bola e levantá-la em direção ao teto duas vezes. Depois, ela se vira e há uma plataforma onde ela deve fazer um salto lateral duas vezes. O exercício dura 1 minuto. "Saltos laterais são bem difíceis de serem feitos no dia a dia, e o treino funcional permite isso", completa.
Objetivos à vista
Se há uma busca por resultados específicos, o treino funcional é um forte aliado. A seguir, o preparador físico dá as dicas das formas mais eficazes de conquistar força e ganhar massa.Músculos de aço: para ganhar força, o treino funcional oferece o powerlifting, que é a arrancada e levantamento típicos de corredores olímpicos.Massa magra: Edson aconselha, primeiramente, buscar uma nutricionista para montar um cardápio rico em proteína e pobre em carboidrato. A seguir, é proposta uma sequencia de exercícios com maior carga e menor repetição, e um descanso maior entre os exercícios.
Subindo de nível
Quando os exercícios que envolvem bola e pranchas parecem não fazer mais o efeito de antes, é hora de subir de nível no treino funcional. E, para isso, é preciso fazer uma nova análise. Segundo Edson, é analisado o nível físico, a coordenação, postura, quantidade de gordura. "Também é avaliado se houve evolução nos exercícios neuromotores", completa.
Quem pode fazer
Não há restrições para o treinamento funcional. Segundo o preparador físico, também não há distinção entre o treino feminino e o masculino. "O que geralmente acontece é que as mulheres preferem dar mais ênfase a alguns grupos musculares, como o bumbum, enquanto os homens preferem trabalhar o tronco", explica.
Academia em casa
É possível levar o treino funcional para casa. Mas, como salienta Edson, é preciso ficar atento à respiração e a postura, para que os exercícios não prejudiquem ao invés de ajudar.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Cuidados com exercícios físicos em temperaturas elevadas




Fonte: Vnews.com.br

A prática de atividades físicas é sempre boa e recomendável para todas as idades. Mas, com temperaturas por volta de 30 graus, é preciso atenção e cuidados redobrados com a saúde.

A agitação começa cedo. Muitos acordam antes das seis pra começar a aula às sete. Ficar na cama até mais tarde para eles, só nos fins de semana. “Isso é minha lavoura, aquelas dorzinhas que tinha no corpo acabou. Isso é muito importante para nós”, falou o aposentado, Antônio Eugênio.

A professora orienta os exercícios que durante a manhã são mais puxados que à tarde. “No período da tarde, nós orientamos que os exercícios sejam mais leves devido ao sol, a temperatura já está mais elevada. No período da manhã nós podemos utilizar uma carga mais elevada para que o sistema respiratório possa funcionar melhor”, explicou a professor, Rosita de Oliveira.Muita gente aproveita o período da manhã para fazer uma caminhada. Nossa equipe de reportagem convidou o professor de educação física, Cristian Pontes, para orientar sobre as maneiras corretas de se fazer exercícios físicos. “O importante é que o indivíduo excute um bom alongamento, se preparando pelos menos de 5 a 10 minutos alongando e comece a caminhada logo cedo tendo uma alimentação leve pré-atividade”, salientou o professor.

Conversamos com algumas pessoas que estavam caminhando pela cidade, para saber o que elas fazem ao se exercitarem. “Alongamento cedo é lei. Na ida e na volta também”, disse a dona de casa, Norma Duarte. “Eu passo protetor solar, bebo bastante líquido para poder me manter né?!”, falou Iolanda da Silva. Credito: Reprodução / Rede Vanguarda

Durante a tarde são necessários alguns cuidados. “O indivíduo deve se hidratar muito, utilizar alimentos leves, frutas, utilizar boné, protetor solar, evitar o sol direto e procurar sombra”, explicou o professor de educação física.Quando nos exercitamos o corpo produz mais calor, por isso o exercício dentro d’água é uma opção para o calor. “A água além de promover a queima calórica, ela também passa a sensação de massagem e elimina a sensação incomoda do suor”, lembrou o instrutor físico.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

OS PERIGOS DOS ANABOLIZANTES
























Por Prof. André Yamada,

Atualmente o mundo do esporte vem rendendo seu brilhantismo natural à custa de métodos artificiais invisíveis ao olho humano. Substâncias ilegais têm sido o atrativo de atletas com o objetivo de atingir marcas sobre-humanas como nunca tinha se visto antes. Muitos ainda se sujeitam a tais barbaridades em troca da performance perfeita, sem imaginar ou até mesmo sabendo que tais métodos podem ocasionar diversos efeitos colaterais no organismo, e como conseqüência riscos graves à saúde ou até mesmo a morte através de relatos.
Uma das substâncias mais utilizadas pelos atletas que exigem força e potência muscular, e aumentos da massa muscular são os anabolizantes. O uso dessas substâncias data desde a segunda guerra mundial onde os nazistas utilizavam para aumentos da agressividade em combates. Mas afinal o que são os esteróides anabolizantes androgênicose quais seus efeitos no organismo? Vamos focar nossa viajem de hoje nos efeitos adversos e perigosos já conhecidos dessa “bomba”
Os esteróides anabolizantes androgênicos são substâncias sintéticas derivadas da testosterona. A testosterona é produzida nas células de Leydig nos testículos e por reações enzimáticas do colesterol. Assim, modificando estruturalmente a testosterona é possível obter substâncias mais anabólicas do que androgênicas. Os efeitos androgênicos são aumentos da agressividade e o que confere as características sexuais masculinas.
Apesar dos efeitos de aumentos na massa magra entre outros aspectos, vale mostrar que os anabolizantes oferecem perigos para a saúde. Entre os diversos efeitos colaterais descritos estão:

1) Em crianças ocorre fechamento prematuro da epífese – parada do crescimento linear.
2) Atrofia dos seios na mulher e nos homens ginecomastia e mamilos maiores – Pode ser dolorosa e cirurgia corretiva deve ser necessária.
3) Aumento do risco de eventos trombóticos como infarto do miocárdio, morte súbita, insuficiência cardíaca – além disso essas respostas podem ser potencializadas com o uso do GH e insulina.
4) Aumento da libido tanto em homens quanto mulheres que são difíceis de controlar – surtos psicóticos severos também são relatados em alguns casos assim como depressão e aumento da agressão e manias
5) Perda de cabelos
6) Mal funcionamento do fígado, hepatites e tumores no fígado
7) Amenorréia, hipertrofia do clitóris e atrofia testicular.
8) Acne, engrossamento da voz em mulheres.

Portanto amigos, vocês viram os efeitos dessa “bomba” no nosso organismo. Os vários efeitos deletérios que podem ocorrer com a administração dela são muitas vezes perigosos e podem por em risco sua vida. Sem saúde não há desempenho e rendimento na prática de esportes. Portanto evite! Até a próxima e lembre, saúde nesse verão com corpos naturais!




André Katayama Yamada, Formado em Educação Física Bacharelado UNIMEPPerformance Humana. Mestrando em Ciências da Motricidade (Biodinâmicada Motricidade Humana)Linha Fisiologia Endócrino-Metabólica.Laboratório de Nutrição, Metabolismo e Exercício, UNESP-Rio Claro,

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Exercício intenso controla evolução do diabetes




Fonte: JM Online

O portador de diabetes tipo 2 normalmente necessita de dieta equilibrada, exercícios físicos regulares e medicação específica para controlar a doença. Mas, mesmo que pareça simples, a doença, que afeta cerca de 246 milhões de adultos no mundo, ainda é responsável por 6% das mortes. Está na boca de todos os especialistas que, para controlar o diabetes, o importante é balancear a alimentação, controlando rigorosamente o que entra no organismo.


Porém, pesquisadores ingleses descobriram que exercícios intensos, de pelo menos três minutos de duração, podem evitar a evolução da doença, ao ajudar no controle do açúcar no sangue. A notícia pode trazer alívio para quem não tem tempo ou não consegue cumprir a agenda de várias horas de atividade física por dia. Os pesquisadores observaram que apenas sete minutos de exercício por semanaajudaram um grupo de homens na faixa dos 20 anos a controlar a sua insulina. Depois de duas semanas, os jovens apresentaram melhora de 23% na eficiência da insulina para tirar a glicose ou o açúcar do sangue. O efeito parece durar até dez dias após a última série de exercícios.


No entanto, uma dieta correta e exercícios regulares e constantes também podem reverter o diabetes tipo 2, mas isso parece ser difícil para muitas pessoas, já que a condição está associada à inatividade. Para os sedentários que querem começar a fazer alguma atividade, existe uma tabela que indica quantas calorias devem ser consumidas a cada hora de atividade física. E o endocrinologista Willian Pardi alerta que não se pode esquecer de cuidar da alimentação, já que este é o fator essencial para controlar a evolução da doença. “Vamos dizer que seja uma pessoa que trabalha em atividade sedentária, que não tem consumo energético com seu trabalho físico e tem 60 quilos de peso ideal, calculado de acordo com a altura.


Ela necessita de uma dieta que tenha mais ou menos 1.500 calorias”. Pardi explica, ainda, que, 60% de um total de 1.500 calorias precisa ser de carboidratos, que são alimentos energéticos. “Um grama de carboidrato ou de proteínas fornece quatro calorias; um grama de gordura fornece nove calorias, então fica mais fácil calcular”, completa.


Mas os benefícios de um período regular de exercícios físicos são variados: vão desde o aumento do consumo de glicose e a resposta do organismo à insulina, contribuindo para a diminuição da pressão arterial e melhorando o sistema cardiovascular, até o aumento da força e da elasticidade muscular, promovendo a sensação de bem-estar e maior qualidade de vida.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O papel da endorfinas na atividade física


Fonte: CyberDiet

Você já ouviu falar que exercício vicia? Algumas pessoas realmente são viciadas em atividade física. Esta dependência causada pelo exercício é atribuída às concentrações elevadas de endorfina produzidas por determinados exercícios.Muitas pessoas se sentem irritadas, ansiosas, depressivas e com péssimo humor quando deixam de fazer exercícios físicos.

ENDORFINA é uma substância natural produzida pelo cérebro durante e depois de uma atividade física que regula a emoção e a percepção da dor, ajudando a relaxar e gerando bem estar e prazer. A endorfina é considerada um analgésico natural, reduzindo o estresse e a ansiedade, aliviando as tensões e sendo até recomendado no tratamento de depressões leves.Há pessoas que não gostam tanto do exercício, mas da sensação de bem estar de tê-los feito. Assim sendo, a liberação de endorfina que gera a sensação de bem estar, provoca esse estado de plenitude que experimenta o praticante regular de atividade física.Mas esta liberação de endorfina depende das características da atividade física que estamos praticando.

Entretanto, como se trata de um mecanismo provocado pela adaptação do corpo ao exercício, ela vai sendo liberada gradualmente desde o início da atividade.m determinado momento, porém, atinge um limiar de produção que a torna perceptível e surge a sensação de bem-estar que persiste mesmo depois de terminado o exercício.Algumas pesquisas afirmam que os efeitos da endorfina são sentidos até uma ou duas horas após a sua liberação. Outros estudos observaram aumento das dosagens desse hormônio até 72 horas após o exercício.A endorfina é produzida na hipófise e liberada para o sangue juntamente com outros hormônios como o GH e o ACTH que estimula a produção de adrenalina e cortisol.

A intensidade e a duração do exercício parecem ser responsáveis pela concentração de endorfina no sangue.Após exercícios de intensidade leve a moderada (menor que 60% do VO2 max) não foi verificado aumento da taxa de endorfina no sangue.Um estudo comparativo entre um exercício aeróbio (com cargas crescentes de intensidade) e outro anaeróbio (com duração máxima de 1 minuto) encontrou concentrações plasmáticas aumentadas de endorfina de forma muito semelhante.No exercício aeróbio esse nível alto de endorfina foi encontrado após ter sido alcançado o limiar anaeróbio (cerca de 75% do VO2 max). Observou-se também relação direta entre as concentrações de endorfina e outros hormônios relacionados à atividade física como o ACTH e adrenalina.

Não existe um tempo de exercício pré-determinado a partir do qual a endorfina começa a ser liberada mais intensamente. Estudos, já citados acima, demonstraram que tanto exercícios aeróbios quanto anaeróbios podem provocar um aumento de sua concentração.Desta forma, se torna importante fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios, para que você conheça o seu nível de condicionamento físico bem como limiares aeróbio e anaeróbio, e possa trabalhar de forma correta e segura.Insista nos exercícios aeróbios de 5x a 6x por semana, na musculação de 3x a 5x por semana e nos alongamentos. Sinta este bem estar!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Comentário do Resultado da Pesquisa!




Olá Pessoal, tudo bem? Muito Obrigado pelo volume crescente de pessoas acessando o blog e gostaria de pedir a todos que indicassem o nosso blog para outras pessoas que tenham o interessem em ler materias sobre atividade física. O acesso esta cada vez maior. Obrigado a todos!

Hoje eu irei comentar sobre o resultado da nossa enquete no blog da Fit.Fiz uma pergunta: " Se você busca o emagrecimento através do exercicio?" e 86% das pessoas responderam que sim. Isso é muito interessante, pois é o que nos vemos no dia a dia. Mas muitas pesssoas, buscam a atividade fisica só pela parte estética mesmo se esquecendo muitas vezes do beneficio que proporciona a sua saúde como a regularização dos niveis de gordura e açucar no sangue, a melhora do sono, a melhora do condicionamento físico e etc... coisas que geram resultados em apenas duas semanas de treinamento ou prática de atividade física. O Resultado na balança, demora um pouco mais de tempo!

Foi feita uma pesquisa recente elaborado pela Veja onde perguntaram se a pessoa queria os beneficios que a atividade fisica proporciona. E qual foi o resultado? 99% das pessoas disseram que sim. Que otimo não? Fizeram depois outra pergunta, se sabendo disso as pessoas que queriam e sabiam deste beneficio e não estavam realizando atividade fisica, porque não estavam fazendo e qual foi a resposta? Mais de 80% disseram que o problema era a falta de tempo e preguiça!

Não é por falta de informação que as pessoas não realizam atividade fisica, ou se tornam mais ativas. Não é preciso muito, basta somente 30minutos de exercicio por dia para que você possa ter todos estes beneficios que a atividade física proporciona!

Vamos lá, mantenham o foco e invistam em sua sáude!

domingo, 25 de outubro de 2009

Caminhada reduz pressão arterial por até 24 horas


Fonte: Diário da Saúde

Benefícios duradouros

Uma boa notícia para os 29 milhões de hipertensos no Brasil. Pesquisa na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP comprovou que a caminhada reduz a pressão arterial na primeira hora e essa queda se mantém nas 24 horas subsequentes.Segundo dados das Diretrizes Brasileiras de Hipertensão, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, são 27 milhões de hipertensos com mais de 18 anos e 2 milhões de crianças e adolescentes que enfrentam o problema.


Pressão sistólica e diastólica

Após uma única sessão desse exercício aeróbico, na média, a pressão arterial sistólica (valor maior, quando o coração se contrai bombeando o sangue) caiu 14 milímetros de mercúrio (mm Hg) e a pressão arterial diastólica (valor inferior, quando o coração relaxa entre duas batidas cardíacas) caiu 4 milímetros, ou seja, de 13 por 9, por exemplo, passou para 11 por 8. Vinte e quatro horas depois essa pressão continuou reduzida em 3 milímetros na pressão sistólica e 2 milímetros na diastólica.


Exercício aeróbico em pista

A pesquisa teve início em fevereiro de 2007 e terminou em julho de 2009. Foi avaliada uma amostra da população cadastrada nos Núcleos da Saúde da Família de Ribeirão Preto, que estão na área do Centro de Saúde Escola da FMRP, com idade entre 60 e 75 anos.Inicialmente foram selecionados 10% dos idosos como amostragem representativa, cerca de 100, mas somente 23 incluídos na pesquisa. Os participantes realizaram uma sessão aguda de 40 minutos de caminhada, seguida de uma sessão de repouso também de 40 minutos. Os resultados apontaram que a redução é mais expressiva naqueles com pressão arterial elevada e menor naqueles com pressão arterial normal.O diferencial desse estudo, segundo Leandra, é o fato de ter sido analisado o impacto do exercício aeróbico em pista, na modalidade caminhada, enquanto até agora todos os trabalhos descritos na literatura terem sido realizados em esteira e bicicleta ergométrica.


Dispensa dos medicamentos

Ainda, segundo Leandra, o uso crônico do exercício pode levar à diminuição gradativa e até ao não uso de medicamentos para os hipertensos leves e, ainda, como método coadjuvante no tratamento com medicamentos nos casos mais graves."Os efeitos desse estudo sobre a população geram um resultado imediato e positivo no paciente com pressão alta e promove uma enorme conscientização quantos aos benefícios do exercício naqueles que não apresentam níveis elevados de pressão. Com isto, o gasto financeiro com medicações tende a diminuir e a qualidade de vida melhorar."Para a orientadora da pesquisa, professora colaboradora da FMRP, Nereida Kilza da Costa Lima, é interessante essa comprovação, pois foi testado um tipo de exercício viável a qualquer pessoa, pois boa parte dos idosos brasileiros não tem acesso a academias de ginástica onde são comuns as esteiras e bicicletas ergométricas.


Exercícios regulares

Já para o presidente da Sociedade Brasileira de Hipertensão, professor Fernando Nobre, esse estudo comprova, mais uma vez, os benefícios do exercício físico nos pacientes com hipertensão arterial e como prevenção nos normotensos, aqueles com pressão arterial normal."Nas diretrizes americanas para o tratamento da hipertensão arterial está estabelecido que atividades físicas por 30 minutos, pelo menos, de 3 a 5 vezes por semana podem reduzir a pressão arterial máxima de 4 a 9 mm Hg. Vejo nesse estudo uma grande contribuição para reafirmar a necessidade de práticas regulares e apropriadas de atividades físicas, na população em geral e na de idosos em particular", afirma.


Hipertensão entre idosos

Segundo o médico e geriatra Eduardo Ferrioli, professor da FMRP, que participou do estudo, a pressão arterial é uma das doenças de maior prevalência entre os idosos, chegando a quase 50%."Apesar de atualmente haver uma mudança da postura dessa população, resultante de campanhas de incentivo à prática de exercícios físicos e recomendações dos profissionais de saúde, essa pesquisa mostra que uma pessoa pode não depender só de medicamentos para combater a hipertensão, uma simples caminhada pode resolver o problema." Outro aspecto apontado pelo professor Ferrioli como importante é a certeza de que a mudança no estilo de vida pode ajudar no controle da hipertensão arterial, ou seja, uma postura mais positiva em relação à saúde só contribui para uma melhor qualidade de vida.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Lesões musculares mais comuns em corredores




Fonte: O2 por Minuto

Conheça alguns dos problemas mais comuns entre os praticantes de corrida. Saiba suas principais causas e como evitá-los


Em um esporte que exige grande potência muscular, como a corrida, as lesões musculares são um dos maiores temores dos praticantes, já que esse tipo específico de contusão representa grande parte dos problemas sofridos pelos atletas de corridas de rua.“No universo da corrida, as lesões musculares respondem por aproximadamente metade das lesões esportivas, justificando a grande quantidade de estudos realizados nessa área”, explica André Pedrinelli, Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte da Universidade de São Paulo (USP).“Esse tipo de lesão é tão comum para os corredores por causa da repetição em excesso de movimentos. Não que a prática do esporte seja ruim, pelo contrário. Mas o atleta deve tomar cuidado para não ir além do que seu corpo suporta no momento, pois senão as chances desse tipo de contusão ocorrer aumentam”, completa Páblius Staduto Braga da Silva, médico do esporte do Hospital 9 de Julho.

As mais comuns
Apesar de o corredor estar sujeito a diversos tipos de lesões, algumas são mais usuais. Por isso, o Dr. Páblius Staduto listou as principais contusões musculares para os corredores.Dor: “As dores musculares podem representar o começo de uma lesão mais grave. Surgem normalmente por causa da fadiga muscular, e é importante que o corredor comece a ter uma atenção maior quando senti-las”.Tendinite: “A tendinite é a inflamação que surge com uma carga excessiva em cima do tendão, que é um tecido mais rígido. Somando o tratamento e o período de recuperação, essa lesão leva em média três semanas para ser curada”.Bursite: “A bursite também ocorre por causa de uma inflamação gerada pelo movimento excessivo, e se dá nas bolsas sinoviais, localizadas próximas às articulações, que servem como amortecedores para as áreas de maior atrito do corpo”.Distensão: “As distensões ocorrem principalmente pelo uso dos músculos além da sua capacidade. São lesões mais graves, e seu tratamento e recuperação normalmente levam mais que um mês”.

Prevenção e tratamentos
Algumas pessoas podem estar mais sujeitas a certos tipos de lesão, desta forma uma avaliação médica é importante antes de serem dadas as primeiras passadas. Além disso, o treinamento em excesso é um dos principais fatores para o desenvolvimento dessas lesões.“O overtraining é uma das maiores causas das lesões musculares. Por isso o corredor deve ficar atento às pequenas dores que surgem no início, pois elas podem se transformar em algo mais grave”, fala Staduto.

Uma boa forma de prevenção desse tipo de contusão é o aquecimento. “O aquecimento apresenta boas propriedades preventivas, pois aumenta extensibilidade muscular, temperatura por atividade metabólica e auxilia no alongamento de músculos e tendões por produção de força muscular ativa”, explica Pedrinelli.

O início da recuperação de uma lesão muscular invariavelmente começa com a pausa dos exercícios, como diz Staduto. “Quando a lesão é detectada, o atleta deve cessar seus treinamentos e ficar em repouso total. O uso de antiinflamatórios é normalmente aplicado, mas sempre com a avaliação de um médico. O uso de gelo para diminuir as dores também é utilizado”.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Cansaço durante o treino sinaliza falta de preparo físico ou problemas de saúde

Fonte: Minha Vida


Hidratação, respiração, alimentação e período de descanso amenizam o problema

Um, dois, três, quatro. Quatro, três, dois, um! De novo: um, dois, três, qua-tro, trêeees, d-o-i-s.... Afê. Não aguento, chega! Parece engraçado, mas essa sensação de cansaço é muito comum e atrapalha muita gente na hora de treinar. Falta de preparo físico, respiração errada, pouco descanso, desidratação e alimentação incorreta são algumas das principais causas do problema. "Muita gente começa a treinar achando que a quantidade de exercícios interfere no resultado final e daí exageram na medida, descansam pouco, malham demais e assim comprometem a saúde", explica Valéria Alvim, personal trainer do MinhaVida."Se o problema é a falta de preparo físico, o treino tem que ser gradativo. Para que o aluno melhore o rendimento, não basta ficar sempre na mesma intensidade. É necessário que comece a receber pequenos estímulos para que a frequência cardíaca varie entre a alta e a normal. Só assim o condicionamento físico vai melhorar e o aluno vai poder dar adeus ao cansaço, explica o atleta Leandro Carvalho, especialista do MinhaVida. Logo abaixo, seguem as dicas para te ajudar a afastar a falta de pique e manter a forma.

O primeiro passo

Faça uma avaliação física antes de iniciar o treino. É por meio dela que detectamos problemas de saúde e descobrimos o treino mais adequado. A avaliação é simples e pode ser feita na academia, hospital, laboratório ou clube. "Com a avaliação, podemos programar a intensidade e a potência do treino, sem prejuízos para a saúde", diz Valéria. O programa de treinamento deve ser progressivo, ou seja, avançar de acordo com o nível de condicionamento físico e necessidade do aluno.

Você sabe como está a sua pressão?

A pressão sanguínea demonstra a resistência do seu coração. Se você tem um melhor condicionamento físico, em decorrência da prática regular de exercícios físicos, e segue uma alimentação balanceada, a pressão fica mais baixa. Por isso, o exercício é um ótimo aliado para prevenir e controlar a pressão alta. Durante o exercício físico, a pressão tende a subir, mas o nosso organismo se adapta a situação, permitindo a dilatação ou constrição dos vasos sanguíneos, ajudando a mantê-la estável. Se ela se alterar muito, é sinal de que tem algo errado com o seu organismo.

Nível de ferro

Um dos motivos para o cansaço que impossibilita a manutenção do nível de esforço pode ser a ocorrência de anemia, que caracteriza-se pela baixa quantidade de ferro no organismo. "O médico deverá interpretar o seu exame para decidir se você deve ou não malhar e qual seria a intensidade do treino", explica a personal.Nível de colesterolEle também indica como anda seu coração, e se as taxas de gordura no sangue não estão elevadas ao ponto de obstruir as artérias e aumentar a pressão sanguínea. "A malhação é mais do que adequada para combater o problema, porém, se feita na dose errada, pode trazer consequências sérias", alerta Valéria.

Gordura corporal

"Se os índices de gordura corporal forem altos, a tendência é que a pessoa sinta mais cansaço até voltar ao peso ideal. Valéria explica que nesses casos, o ideal é que treinador e nutricionista trabalhem juntos para não deixar que o atleta exagere na dose de exercícios e comprometa a saúde".

Depois do check up, o treino1. Mantenha uma rotina de 4 a 6 vezes por semana de exercícios regularmente2. Comece devagar, faça exercícios de 3 a 4 vezes por semana em dias alternados e vá aumentando a intensidade e os dias de exercício.3. Faça um bom aquecimento antes dos exercícios e alongamento depois do treino4. Beba água na quantidade certa. A hidratação é fundamental para repor líquido e nutrientes, perdidos durante os exercícios. "Muitas pessoas perguntam qual a quantidade de água ou isotônico a ser tomada durante o exercício. Há uma recomendação de tomar 200 ml cerca de 1 hora antes dos exercícios, de 80 a 120 ml a cada 15 minutos de exercício e até 1 litro depois dos exercícios, em pequenos goles, mas não dá para generalizar", diz Valéria.5. Use roupas e calçados apropriados para a atividade que você irá fazer. As roupas devem ser leves. Se forem pesadas e muito quentes, poderão aumentar o cansaço durante o exercício. O mesmo serve para os calçados. Se forem inadequados, poderão incomodar e até machucar os pés durante e depois do exercício e causar cansaço em excesso.6. Use boné, óculos e protetor solar se você estiver treinando na rua e prefira um horário em que o sol está mais fraco7. Respeite o seu limite e período de descanso de acordo com o seu nível de condicionamento físico e a atividade praticada. "Investir pesado não significa resultados mais rápidos, ao contrário, o descanso é fundamental para alcançar suas metas", alerta Valéria.8. Respire pela boca, pois há um maior fluxo de oxigênio. Quanto mais intenso, mais curta se torna a respiração. É importante fazer exercícios respiratórios para melhorar o seu fluxo respiratório. A yoga é uma boa dica para melhorar a respiração.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

ALTERAÇÕES HORMONAIS EM RESPOSTA AO EXERCÍCIO FÍSICO


Por Prof. André Yamada


Hoje vou falar uma dos fenômenos mais interessantes e importantes que regulam o funcionamento do nosso organismo. Sabidamente todo ser humano possui uma maquinaria homeostática capaz de controlar sinais vitais como pressão arterial, temperatura corporal. Hormônios são substâncias excretadas pelas glândulas e que são transportados até a corrente sanguínea com a finalidade de atingir órgãos alvo.


A função dos hormônios é sinalizar para as células respostas específicas. O exercício então, pode ser considerado um potente estimulador dos hormônios, fazendo com que estes trabalhem harmoniosamente direcionando para os benefícios da saúde humana. A partir desses conhecimentos é importante salientar o conceito dos hormônios e as interações com a atividade física ou esporte. Por exemplo, a insulina é um hormônio anabólico produzido pelas células beta do pâncreas nas ilhotas Langerhans que tem a principal função de captar a glicose da corrente sanguínea para dentro das células.


O exercício faz aumentar a sensibilidade desse hormônio mantendo os níveis de glicose em valores normais com a prática crônica do exercício. O treinamento físico parece aumentar o número de proteínas transportadoras de glicose (GLUT-4), que leva a glicose para a musculatura esquelética exercitada. O exercício físico é nesse sentido, uma terapia não farmacológica para o diabetes mellitus. Outros hormônios como o cortisol e o GH são ativados durante a prática do exercício e são conhecidos como hormônios contra-reguladores, pois atuam de forma antagônica à ação da insulina.


O cortisol é conhecido como hormônio do estresse, pois em condições como jejum e traumas seus níveis se encontram aumentados. Já o GH é um hormônio anabólico e que está relacionado com o crescimento de diversos tecidos. Então quando se inicia uma atividade física, os hormônios cortisol e GH se elevam em contrapartida a insulina abaixa. Esse mecanismo é importante para a manutenção da glicose plasmática, já que a própria musculatura capta a glicose. Além disso, o nosso cérebro é o tecido com maior necessidade da glicose. Durante o descanso após a atividade física as concentrações de GH se elevam fazendo restaurar todo o estresse imposto sobre as células.


Outro exemplo de hormônio, são as catecolaminas que se elevam decorrentes do aumento da freqüência cardíaca e fluxo sanguíneo, ativando as atividades simpáticas. Isso faz, aumentar a temperatura corporal e a freqüência respiratória, levando o fluxo de sangue das vísceras para a musculatura exercitada. A testosterona é um hormônio sintetizado pelo colesterol nos testículos por reações enzimáticas. Ela é responsável pela massa muscular e agressividade principalmente nos homens. O treinamento de força aumenta as concentrações de testosterona o que potencializa a hipertrofia.


Além disso, o exercício moderado pode liberar a endorfina que estimula o bem estar e diminui a ansiedade e cansaço do dia-a-dia. O controle da fome também é regulada por hormônios como a leptina e grelina, sendo que o exercício contribui para a regulação destes. Quanto mais obeso é o indivíduo maior são os níveis de leptina. Por fim, os hormônios regulam diversas funções fisiológicas importantes, tendo o exercício físico como coadjuvante de prevenções de diversas patologias relacionadas à regulação hormonal.


André Katayama Yamada, Formado em Educação Física Bacharelado UNIMEPPerformance Humana. Mestrando em Ciências da Motricidade (Biodinâmicada Motricidade Humana)Linha Fisiologia Endócrino-Metabólica.Laboratório de Nutrição, Metabolismo e Exercício, UNESP-Rio Claro,Campus Bela Vista

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Efeito psicológico dos exercícios é melhor do que o físico


Fonte: AFP

O simples ato de fazer exercícios e não se submeter a um treinamento intenso ou ter condição atlética contribui com um forte efeito psicológico, e pode fazer com que a pessoa passe a ter uma imagem melhor de si mesma, conclui um estudo divulgado nesta quinta-feira pela Universidade da Flórida."A pessoa poderia pensar que, por estar mais preparado fisicamente, experimentaria maiores benefícios em termos de imagem corporal, mas não é o que constatamos", afirma Heather Hausenblas, especialista em psicologia do exercício.


"Os requerimentos para ter os efeitos psicológicos positivos do exercício, incluindo a imagem corporal, diferem substancialmente dos benefícios apenas físicos", acrescentou.O estudo, publicado em setembro no Journal of Health Psychology, indica que a imagem corporal negativa praticamente se converteu em uma epidemia nos últimos 20 anos, e menciona que pesquisas nos Estados Unidos que mostram que 60% dos adultos afirmam não gostar de como veem seu corpo.


Os americanos gastam milhares de milhões de dólares por ano em produtos destinados a melhorar o físico, incluindo dietas e cosméticos, afirma o trabalho."A insatisfação com o próprio corpo é um grande problema em nossa sociedade, e corresponde a todo tipo de conduta negativa como dietas repentinas e desequilibradas, vício do cigarro, uso de esteróides e cirurgias estéticas desnecessárias", afirma Hausenblas."Afeta homens e mulheres de todas as idades e começa com meninas com idades de até 5 anos, que já dizem que não gostam de seu corpo", acrescentou.As vantagens psicológicas do exercício, incluindo a redução da depressão ou a confiança na imagem física, são menos exploradas que os benefícios físicos extensamente pesquisados ou aceitos, enfatizam os especialistas.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Matéria sobre corrida para mulheres no Jornal de Piracicaba!


Olá pessoal! Hoje eu gostaria de trazer à vocês a matéria que saiu ontem no Jornal da Piracicaba sobre corrida para mulheres. Falei um pouco dos beneficios, do que precisa, cuidados e etc... para que toda a mulher possa começar a correr!

Gostaria de agradecer em especial a minha cliente Marilia que foi a que tirou a foto para o Jornal!


Ficarei alguns dias sem escrever pois estarei viajando hoje para o Rio de Janeiro, minha terrinha natal, mas terça feira já estamos de volta!


Bom feriado para todos e não deixem de treinar!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

PROGRESSO DAS CIÊNCIAS DO ESPORTE


Por André Yamada,


Olá caros leitores, vou falar hoje de um assunto bastante comentado na mídia e que está se desenvolvendo muito rapidamente. Houve um enorme progresso das ciências do esporte com as novas tecnologias a disposição de técnicos e atletas. Os atuais atletas conseguem ultrapassar marcas e bater recordes como nunca se tinha visto antes.


Vestimentas, suplementos, métodos de avaliação física, treinamento psicológico entre outros foram aperfeiçoados para que limites fossem ultrapassados em quaisquer circunstâncias no mundo do esporte. Como todos viram o fenomenal atleta das pistas de 100 metros assombrou o mundo quando bateu recordes mundiais sorrindo e brincando. Qual a razão de ser? É claro que a natureza o colocou a favor dos demais pelo próprio biótipo, além da sua carga genética. Mas será que o treinamento e aquela concentração psicológica antes da prova não o favorece a ser um verdadeiro campeão? Uma dos exemplos importantes é de César Cielo, ou seja, atualmente ele é o nadador mais rápido do mundo na sua prova de especialidade. Vale lembrar que ele treina até hoje nos EUA. E os jogadores da NBA como Kobe Bryant, como ele consegue ter uma força explosiva incomunal? Treinamento pesado, ou o próprio dom? E o que dizemos quanto a Michael Phelps? Será que ele ingeria aquela quantidade de calorias para o treinamento intenso, ou há algum outro segredo por trás disso?


Importante mencionar que independente dos fatores naturais a tecnologia está se desenvolvendo muito rápido. Vestimentas para diminuir o atrito na água em forma de pele de tubarão já estão disponíveis para os nadadores. O fisiologista do São Paulo também empregou na equipe algumas fitinhas sublinguais que absorvem minerais e nutrientes para a rápida recuperação dos atletas com o intuito de evitar também a desidratação. Avaliações físicas de última geração são realizadas em grandes centros para melhorar a performance de atletas.


Vários grupos de pesquisas do Brasil inclusive têm trabalhado fortemente para as pesquisas como o LABEX da UNICAMP. Eles estão desenvolvendo métodos para otimizar o rendimento de atletas com o objetivo de quantificar o esforço dos mesmos. Infelizmente também se discute na possibilidade em um futuro próximo da utilização do doping genético que será muito difícil de se detectar. Há também pesquisas que objetivam o rastreamento de genes candidatos que podem ser utilizados para detecção de talentos.


Dessa forma as ciências do esporte está fazendo o máximo para amplificar o rendimento desses atletas, mas por outro lado vamos ter que esperar o momento certo de dizer se há limites ou não para o ser humano.


André Katayama Yamada, Formado em Educação Física Bacharelado UNIMEPPerformance Humana. Mestrando em Ciências da Motricidade (Biodinâmicada Motricidade Humana)Linha Fisiologia Endócrino-Metabólica.Laboratório de Nutrição, Metabolismo e Exercício, UNESP-Rio Claro,Campus Bela Vista