quinta-feira, 19 de março de 2015

A cobrança excessiva não é o caminho para o sucesso!




Nos meus vários anos como professor tenho tentado trabalhar além da parte física, também o emocional das pessoas. Sendo com motivação durante as aulas, passando confiança ou simplesmente escutando. Enxergo ser muito importante esse trabalho “paralelo” com o aluno pois podemos agregar mais qualidade de vida a essas pessoas melhorando a autoestima. Se o próprio exercício já tem o poder de mexer com ela, uma palavra, um elogio e até um conselho podem te dar ânimo e bem-estar para continuar a busca pelos objetivos, mesmo que sejam difíceis.

São muitos os aspectos e por vezes complexos. A vida atribulada oscila entre um dia muito bom e um dia péssimo. E isso influência as pessoas de varias maneiras desde a excitação e a ansiedade total até a depressão. Não cabe a nós profissionais da educação física fazer o trabalho do psicólogo, mas somos sim os mais acessíveis para o desabafo daquele dia, naquela hora. E é justamente por estar envolvido em algum momento do dia com diferentes alunos, que podemos criar perfis diferentes, trabalhando além do físico também a mente!

Tenho percebido um perfil interessante em alguns alunos que me intriga e ao mesmo tempo preocupa. São aqueles que se cobram demais. A auto cobrança a princípio é benéfica, pois permite a pessoa procurar seu objetivo respeitando, por exemplo, horários de treino, dietas, e tudo o quê está ao alcance para se chegar a ele. Isso é ótimo, motivador e gratificante, pois vai conseguir chegar onde quiser.

Por outro lado, o excesso de cobrança pode ter efeitos devastadores. Pessoas que se cobram demais tendem a ficar ansiosas e insatisfeitas, achando defeito em tudo. Parece-me lógico que essa insatisfação leva a pessoa ao medo, inflexibilidade e intolerância, e pior, com relação a ela e com relação às pessoas do seu cotidiano, frustrando-se facilmente. Pensar negativamente e ser pessimista é de praxe. Ansiedade? A depressão está logo ali...

Procurei ler sobre isso, mas nada muito específico. É de consenso que as pessoas perfeccionistas são as mais ansiosas e que se cobram demais (me identifiquei, é verdade), frustrando-se muito facilmente, criando barreiras e até desculpas para uma possível falha ou fracasso.


Precisamos ser mais humildes e aproveitar a vida. Fazer o que devemos, mas levar com naturalidade. Não existe um discurso melhor do que colocar a saúde e a vida na frente de todas as outras coisas que pretendemos fazer. Não sou psicólogo, mas posso dizer que a motivação que devemos ter é de seguir tentando sempre e aprender com as desilusões. Tudo pode acontecer no caminho para o seu sucesso e isso inclui o fracasso! Não conseguiu, tente de novo. Machucou? Paciência, procure se tratar e estabeleça outros objetivos! Não conseguiu chegar naquele peso, naquela distância ou colocar aquela roupa? Vai em frente com alegria! Viva intensamente e faça amigos, viagens, gaste dinheiro! Se cobre muito pra ir a uma festa, mas nunca por não conseguir realizar aquela corrida daquela maneira! Se você está percebendo que se cobra demais, comece a ver o outro lado e aproveite os momentos de satisfação que a vida lhe proporciona. Vai ver que tudo será diferente!

Até a próxima
Prof. Esp. Rodrigo Sacilotto

3 comentários:

  1. Excelente texto,concordo em gênero,número e grau!

    ResponderExcluir
  2. Esse texto é ótimo. Gostei do conselho. Vou praticar.

    ResponderExcluir