segunda-feira, 8 de julho de 2013

Quer morrer em paz? Então procure uma vida saudável!

Como vai meus amigos, tudo bem? Hoje eu gostaria de estar conversando com vocês sobre o nosso comportamento perante a saúde, a sua em especial. Como anda a sua preocupação com a sua vida no futuro, com relação à saúde? Quer ter uma aposentadoria saudável e... morrer em paz?
Sabemos que uma hora ou outra isso vai acontecer, afinal fomos feitos para envelhecer. Naturalmente temos validade e isso não é demérito nenhum, muito pelo contrário, é a dádiva da vida passar por tantos anos aprendendo, produzindo, educando, ensinando e finalmente, descansar. Fizemos nossa parte ou o quê nos foi proposto pra fazer, depende do ponto de vista de cada um, mas é simplesmente isso. Nascer, viver, morrer...é....

Mas acredito que podemos e devemos encarar isso de outra maneira. “Quero morrer bem, com saúde!”. Parece meio estranho falar de morte e saúde ao mesmo tempo, e vocês devem estar me achando louco, como assim morrer com saúde? Se estiver com saúde, não morre! Morre sim, é natural. Como vai ser depende. Mas é exatamente ai que quero chegar, só preciso que vocês tentem seguir meu raciocínio louco, porém firme, e vão entender que isso deve acontecer e só dependem de vocês, como sempre.

Sabemos que hoje, algumas doenças começam cedo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde,  em 2010 haviam 42 milhões de crianças com sobrepeso no mundo, devido ao sedentarismo e dieta desequilibrada. Isso se deve a muitos fatores como, por exemplo, a falta de informação aos pais sobre alimentação, problemas sociais, violência, etc. As crianças simplesmente não brincam mais na rua e estão cada vez mais reclusas em suas casas, com internet e vídeo games. Complexo o assunto, mas assim que começa.

A obesidade infantil trás outros problemas como diabetes,  hipertensão arterial e problemas cardíacos. Problemas esses que aconteciam com mais frequência em pessoas mais velhas, na faixa de 40 anos pra cima, também causados por sedentarismo, má alimentação, cigarro e bebidas alcóolicas, e nesse cenário é muito preocupante que se na criança começa cedo, como viver longos anos e aproveitar a vida sem esses problemas. Talvez, não vai ter uma “velhice” legal, alegre. Talvez passe a vida sofrendo com remédios e tratamentos. Nós podemos e devemos mudar esse cenário. Se uma pessoa com dez anos de idade, a vinte anos atrás, já era obesa e não se preocupou com isso durante esses vinte anos, tem uma vida saudável hoje, com trinta anos? Provavelmente não, e a tendência é piorar, desenvolver outros problemas que vão ter complicações crônicas no futuro, na sua velhice. Vai acontecer mesmo, não acredite no “talvez”. 

Hoje temos muito mais informações e acessos, que nos permitem entender os mecanismos necessários para um futuro melhor e mais saudável.  Fazer atividades físicas e ter uma dieta balanceada nos proporciona mais qualidade de vida. Claro, isso não elimina a possibilidade de desenvolvermos algum tipo de doença, e nem vai nos tornar imortais, mas vai evitar problemas e prolongar os anos de vida. Se você quer uma aposentadoria ativa e saudável, faça sempre exercícios físicos e lembra-se: nunca é tarde e nem cedo para começar. Comece hoje a pensar na sua “velhice” e dos seus filhos também. Envelhecer todo mundo vai, mas que envelheça com saúde para enfim, morrer em paz!


Em 2010 tínhamos uma população de 20,5 milhões de idosos ou 10,8% do total, segundo pesquisa do IBGE. Essa estatística vai aumentar naturalmente,  e para que as estatísticas negativas como idosos com diabetes, hipertensão arterial e outras não aumentem, faça a sua parte já!

Abraço a todos!
Prof. Esp. Rodrigo Sacilotto 

2 comentários:

  1. Parabéns Profº Rodrigo por mais esta aula que tão gentilmente nos foi ofertada. OBRIGADA

    ResponderExcluir